Fazenda Conde do Pinhal

Passeio à Fazenda Conde do Pinhal

No dia 22 de maio, os alunos da 8ª série A da E.E. André Donatoni foram à um passeio histórico à uma das mais importantes fazendas interior paulista, a Fazenda Conde do Pinhal.

Sobre a Fazenda:
A história da Fazenda Conde do Pinhal se confunde com a história de São Carlos. Carlos Bartholomeu de Arruda Botelho adquiriu a sesmaria do Pinhal em 1785 e em 1831 foi oficialmente demarcada a pedido de Carlos José Botelho, conhecido como Botelhão, herdeiro fundamental na ocupação dessas terras.
Em 1831, iniciou-se a construção da sede da fazenda, provavelmente, para efetivar sua posse definitiva, localizada na parte mais elevada do terreno, como era comum na época.
A sede tem características arquitetônicas do final do século XVIII e início do XIX, com semelhanças da arquitetura das regiões de Itú e Piracicaba, ligadas à cultura açucareira (implantada a meia encosta, com embasamento de pedra e taipa de pilão, possuindo ainda paredes externas e internas de pau-a-pique).
No ano de 1840, foram plantados os primeiros cinco mil pés de café nas manchas de terra roxa da sesmaria, também foram plantados algodão e cana.
Já na época do café, Antonio Carlos de Arruda Botelho, filho de Carlos Bartholomeu e futuro Conde do Pinhal, ampliou a sede da fazenda. Essas mudanças tiveram como razão principal o maior conforto da família. No entanto, essas alterações procuraram respeitar a arquitetura antiga.
Também foram construídos os terreiros, a tulha e a instalação dos equipamentos necessários a uma fazenda de café.
A sede da fazenda Pinhal é um exemplo de arquitetura muito importante, pois historicamente representa dois grandes ciclos da economia paulista: do açúcar e do café.
A Fazenda Conde do Pinhal está tomabada pelo CONDEPHAAT.
(fonte do texto acima)

Depoimento da aluna Joice Mendes de Oliveira:
Durante o passeio à Fazenda Conde do Pinhal, aprendemos várias coisas muito interessantes, a qual não conhecia, e vou cita-las:
O pai do cConde ganhou algumas terras que eram chamadas Sesmarias, porque foram divididas em seis partes, a qual cinco partes foram doadas a cinco fazendeiros ricos (observação, as terras não eram doadas a pobres porque estes não teriam condições de fazer com que essas terras crescessem), e a outra parte ficava com quem as doavam, e uma delas ficou com o pai do Conde, esse pedaço de terra é a Fazenda Conde do Pinhal.
Quando o Conde estava com uma certa idade e seu pai já havia falecido, ele tomou posse dessas terras e se casou pela primeira vez. Com esta mulher teve um filho, passado um certo tempo sua esposa faleceu e o Conde fica só e com um filho para criar.
Em um passeio que ele fez, conheceu Ana carolina e se apaixonou por ela, pede-a em casamento à seus pais que logo aceitam, já que Ana Carolina já estyava com 22 anos. Vale ressaltar que para aquela época já estava velha para o casamento.
Os doi casaram-se e foram morar na casa do Conde, e juntos tiveram doze filhos.
A Fazenda Conde do Pìnhal, recebeu esse nome por ter possuído muitas araucárias (árvore que dá o pinhão), hoje em dia é uma pena não vê-las, já que foram desmatadas para o plantio de café.
O café naquela época era o que movia a economia brasileira, apesar de sua demora para chegar a outros países na Europa.
Como São Carlos não possuía trens, colocavam o café em tropas de mulas até chegar em Rio Claro, só depois colocavam no trem até São Paulo, ao Porto de Santos, e a partir daí partiam para a Europa.
Com isso o café demorava muito tempo para chegar à Europa e demorava também para o conde conseguir seu dinheiro.
Para facilitar o fluxo de café e não ter perdas em seus lucros, o conde teve a idéia de construir uma estrada de ferro em São Carlos.
Como ele era muito amigo dos grandes governantes da época, ele conseguiu a estrada de ferro, fazendo com que a cidade se desenvolvesse muito mais rápido em relação as outras cidades do interior de São Paulo.
Outra coisa interessante de citar também é que o Conde alforriou seus escravos antes da Lei Aurea, e ele morreu 40 anos antes de Ana Carolina que viveu até os 104 anos.




Abaixo segue imagens do passeio:






Contador visita
Visitas